Capitulo 5

WHERE IT ALL BEGINS; PARTE V 

- Mansão dos Winstow – 

Dianna havia acabado de chegar de Londres estava realmente cansada e nem imaginava que dali a alguns dias suas aulas iniciariam e veria novamente seus amigos, era noite uma limusine estacionara passara metade das ferias dando autógrafos e outra metade curtindo com amigos ingleses tudo por causa do sucesso de seu livro e do clube de seus pais fazer tanto sucesso no mundo, estava realmente exausta, saiu da limusine adentrando ao Hall da casa junto de seus pais. 

- E então filha gostou? - Perguntou Stevans sentando-se no sofá. 

- Está brincando, eu amei, caramba é bom vê mais gatinhos. - Ela disse sorrindo seu pai que bebia um gole de wisque cuspiu tudo encima de sua mãe a fazer sorrir. 

- Diana, como assim gatinhos? - Perguntou ele serio. 

- A qual é pai lá tem vários gatinhos e eu fiquei com uns três. - Ela falou assim como quem não quer nada seu pai esbugalhou os olhos e sua mãe sorriu. 

- Qual a graça Estela? Nossa filha diz assim na maior que ficou com uns três e você acha graça? O mundo ta perdido mesmo. - Ele reclamou e levantou-se subindo as escadas. 

- Ele ainda não se acostumou com o fato da princesinha dele está crescendo. - Falou a mãe docemente sentando-se ao lado de Dianna. – E é porque ele disse para todo mundo que não tem ciúmes da filha. 

- Não é isso ele gosta mesmo de ficar pegando no meu pé. – Declarou a garota. – Ele não tem ciúmes de mim. – Disse a filha cruzando os braços. 

- Dianna meu anjo você às vezes se faz de inocente, mas você sabe muito bem que seu pai está com medo de perder a princesinha dele, mas uma hora ele vai ter que entender que as princesas também crescem e tem sua vida para seguir. – Falou a mulher levantando-se beijando o topo da cabeça da filha e saiu declarando que ia se deitar estava realmente cansada. 

Dianna ficou ali sentada pensando um pouco sentia um pouco a falta de Luh, precisava conversar com a amiga, contar as novidades pegou seu celular e discou o numero desta, chamou algumas vezes até que uma voz ao outro lado da linha não muito animada e demonstrando tristeza e parecia que tinha chorando. 

- Alô. – Falou a pessoa do outro lado da linha. 
- Luh, o que você tem? Parece-me triste. – Perguntou à amiga. 
- Dih, o único motivo de sempre só isso mesmo, e então quando você volta? – Perguntou Luh demonstrando um pouco de animo. 
- Hum... Acho que já estou em casa. – Disse Dih sorrindo. 
- COMO É QUE VOCÊ CHEGA E NÃO ME AVISA? – Gritou Luh. 

- Sabe eu estou avisando afinal de contas eu acabei de chegar. – Respondeu Dih sorrindo. 

- Er... Ha... Eu sei né. – Respondeu Luh sem graça. – E então me ligou pra que mesmo? – Perguntou. 


Dianna revirou os olhos e suspirou batendo na testa. 

- Nossa que emoção, eu ligo para avisar que eu cheguei e ela pergunta pra que eu liguei, que amiga não? – Falou fingindo-se indignada. 

Luh sorriu e fez uma careta, mas não tinha como Dianna ver. 

- Deixa de ser dramática isso só combina mesmo com a Ella. – Disse. – Quer que eu vá para ai? – Perguntou. 
- Seria bom, mas avise aos seus pais antes. Eu tenho muitas coisas para conversar com você. – Disse Dih. 
- Certo fazer o que se eu não avisar é bem capaz de colocarem todos os policiais de Paris atrás de mim. – Ironizou ela revirando os olhos. – Como se eu fosse importante ou coisa do tipo... Hum... Coisas para me contar? Depois dessa eu vou correndo avisar logo. – Disse Luh sorrindo. 
- EI! Deixe de ser chata você é muito importante. – Reclamou Dih. – Agora me deixa ir tomar um banho eu estou morrendo de calor e não demore muito. – Disse. – Até daqui a pouco. 
- Até. Eu não demorarei será o tempo suficiente para eu voltar no Palace e avisar que estou indo dormir na sua casa está bem? – Falou Luh. 
- Certo eu estarei a sua espera. Até já. – Disse Dih desligando o celular. 

Dianna desligou o telefone e foi para o seu quarto tomar um refrescante banho enquanto sua amiga chegava pensou em ligar para Natasha e Ella, mas ficara sabendo que ambas já tinham algo planejado que teria sido programado por James e Natasha. Enquanto banhava ficara pensando em como conversar com Luh a respeito de seus sentimentos descobertos durante as ferias. Suspirou cansada e descansou a cabeça no parapeito da banheira.

 

Facebook

Twitter

Tumblr