Capitulo 4

WHERE IT ALL BEGINS; PARTE IV

- Mansão dos Williams –

Luh estava cansada e com muito tédio tivera um dia de cão com sua mãe obrigando-a a  experimentar varias roupas, estava deitada no sofá lendo ao livro e acabou pegando no sono, acordou escutando alguém chegar. Tirou lentamente e lesadamente o livro do rosto. 

- Pai? – Perguntou sentando-se com certa dificuldade no sofá. 

- Luh, o que aconteceu parece que um caminhão passou por cima de você. – Perguntou ele sorrindo e sentando-se ao lado da garota. 

- É melhor perguntar quem me aconteceu não? – Ela falou com tédio. – Passei a tarde sendo modelo de teste da mamãe. – Disse ela. 

- Entendo sua mãe como sempre. – Disse o pai sorrindo. – Mas para matar esse tédio todo que tal jantarmos no Palace? – Perguntou sorrindo. 

- Certo né fazer o que, mas antes me deixe tomar um banho pelo menos estou me sentindo suada. – Declarou a filha levantando-se. 

- Ok, não demore muito eu vou pedir para Simas ir buscar Laura. – Falou enquanto a filha subia as escadas. 

- Não se preocupe eu não demoro. - Falou Luh enquanto subia as escadas então logo entrou em seu quarto. 

Ela jogou-se na cama e ficou ali pensando em que vestir, mas entrou logo no banheiro tomou um banho relaxante e voltou para o seu guarda roupa a fim de encontrar algo de bom para vestir, pegou então uma blusa simples amarela com uma calça jeans com alguns detalhes na perna olhou-se no espelho gostando do que via passou uma maquiagem básica e desceu as escadas novamente vendo seu pai sentado a esperando. 

- Demorei? – Perguntou sem jeito. 

O pai ficou olhando para a filha encantado, era incrível como a cada dia que se passava sua princesinha ficava mais encantadora, igual a mãe quando mais jovem. 

- Não, mas se tivesse demorado mais um pouco ai sim teria demorado. – Disse ele rindo e levantando-se. – Filha você está linda. – Elogiou. 

- Obrigada. – Respondeu Luh rindo bondosamente. 

O homem enlaçando o braço da filha e ambos caminharam para fora da casa onde uma limusine preta os esperava. O motorista caminhou até eles e abriu à porta eles adentraram a limusine e nesta Laura já os esperava. 

- Boa Noite amor. – Cumprimentou Bernard dando um selinho na esposa. 

- Boa Noite. – Respondeu ela sorrindo. – E então como foi o seu dia? – Perguntou ela não desgrudando de seu IPhone. 

- Foi normal. – Respondeu ele não dando importância. – Laura deixe esse celular de lado vamos aproveitar o momento família. – Aconselhou. 

- Bernard me deixe sabe que eu tenho minhas coisas para resolver. – Respondeu a mulher. 

Luh sabia que aquilo ia transformar-se em uma discussão, sempre era assim quando estava com sua mãe e seu pai, algo tinha que da errado sempre. Bufou. 

- Pai deixa ela, não adianta é o mesmo que falar com a parede. – Bufou cruzando os braços. – Ainda não sei por que eu resolvi aceitar esse convite de jantar. 

- O que está querendo dizer com isso mocinha? – Perguntou a mãe. 

- Sabe mãe às vezes a senhora podia ser menos egoísta e ligar mais para a sua família. – Falou a garota logo saindo do carro, pois este parará e o motorista abrira a porta. 

Laura pensou em responder, mas Bernard a segurou pela mão olhando-a com compreensão como se dissesse com aquele olhar para deixar a filha ir. Entraram ao hotel de mãos dadas Luh ficou encostada a parede apenas observando não iria entrar agora precisava de um pouco de ar. 

- Não vem filha? - Perguntou Bernard. 

- Podem ir, eu acho que perdi a fome. - Falou. 

- Ok, cuidado então. – Respondeu o pai logo entrando e não esperando a filha responder. 

Luh caminhou até o carro e pediu para que o motorista a levasse a praia de La Dane, a garota entrou no carro, sentou-se e encostou a cabeça no banco, estava realmente pensando no que iria fazer brigar com sua mãe estava se tornando cada vez mais constante e ela não estava gostando muito. Sentia falta do seu tempo de criança em que reunia-se com seus pais e ambos iam se divertir brincar e sorrir até o cansaço chegar, mas o que ela mais queria era que sua família s e tornasse uma família unida novamente, e não uma família separada por causa dos trabalhos de seus pais, sentia falta de ficar brincando com a mãe enquanto essa lia alguma coisa ou contava uma historia para ela dormir.

 

Facebook

Twitter

Tumblr